Renovação e batalha: a caminhada de Caroline Young no fisiculturismo

Uma chave virada e vida renovada, alcançando desafios, almejando novos horizontes, rompendo barreiras e superando pseudo-limitações. Há 2 anos, a vida de Caroline Young, atleta de Volta Redonda, no Sul Fluminense, se transformou. Em agosto de 2013, época em que iniciou os treinamentos de musculação, pesava 86 kg, vinte quilos a mais do seu peso, nos dias de hoje, quando está em off season. Todo esse empenho tem uma explicação primária: a necessidade de melhorar a saúde e qualidade de vida.

A busca pelo emagrecimento, aos poucos, foi dando lugar ao amor pelo esporte. No entanto, ela recorda que, assim que ingressou na academia, precisava cumprir a obrigação de reduzir o peso:

“No início foi por muita obrigação de emagrecer e regular minhas taxas hormonais – colesterol, triglicerídeos, etc – quando perdi 18kg, mais ou menos. No fim do ano, passei a sentir prazer em praticar musculação e não parei mais”, conta.

A inspiração e vontade de vencer são atributos que caminham juntos de si e moldam a sua história. A fonte de estímulos para seguir em frente, aspirando conquistas e êxitos, se encontra nas pessoas que vivem ou passam pela mesma situação em que está ou já se fez presente. A luta dos que amam o esporte, vão atrás dos sonhos – apesar das dificuldades – e reconduzem a vida para uma realidade evoluída, faz com que ela admire, respeite e tenha como exemplo. Atletas como Jorlan, Kai Greene e o Dr. Paulo Muzy, de acordo com sua observação, se enquadram nesse aspecto.

Sua vida esportiva começou bem cedo. Dos 5 aos 13 anos, fez natação, além de ter disputado campeonatos municipais de vôlei e handebol. No entanto, desde que começou a prática do fisiculturismo, a rejeição de alguns familiares veio à tona, devido aos altos custos do esporte, dando ênfase à vontade que possui de mudar esse panorama.

Engana-se quem pensa que o bodybuilding está relacionado apenas ao fato de praticar exercícios físicos. Caroline tem uma vida complexa na carreira, com acompanhamentos de profissionais de diversas áreas, conforme complementa:

“Tenho acompanhamento com endocrinologista, fisioterapeuta e esteticista. Nosso esporte engloba todo um contexto por trás daquele corpo que apresentamos no palco. O endócrino acaba me acompanhando com os exames trimestrais que faço para saber como está meu organismo, taxas hormonais e principalmente minha tireoide (hipotireoidismo) e ovário policístico. A minha fisioterapeuta ajuda a me livrar das tensões que acabo tendo com os treinos intensos (retirada de nódulo e aprofundamento dos cortes) e ainda ao descolamento da fáscia muscular para ajudar na hipertrofia. E a esteticista me ajuda com tratamentos corporais e faciais. Os corporais geralmente são para eliminar aquelas gordurinhas que mesmo quando secamos, não saem por nada. E os faciais, para ajudar no tratamento da acne e pele oleosa, que também são derivados do meu ovário policístico e hipotireoidismo”, certifica.

A instigação em conciliar a alimentação com os treinos, além de possuir bom relacionamento pessoal, gera insatisfação, em determinadas circunstâncias. Segundo ela, as pessoas não entendem que o humor se altera ao entrar em uma dieta restrita. Com total disciplina e foco, almeja consertar algumas assimetrias, ganhar densidade e competir em campeonatos estaduais, para aumentar sua visibilidade. Dentre os planos imediatos da atleta, no esporte, destacam-se: competir na seleção para o Arnold Classic Brasil 2016, competir no Mr. Rio, Brasileiro e conquistar vaga no Sul-Americano ou Mundial.

Treinada por Adam Abbas, o qual conhece desde as redes sociais, busca, através da parceria, títulos e reconhecimento. Ela sonha em conquistar o Pro Card, ser atleta profissional e competir internacionalmente. Caroline prega o amor pelo esporte como superior ao valor estético. Preza a necessidade de gostar do que faz e nunca se satisfazer pelos resultados, sempre tendo a superação própria como finalidade.

cy2
Foto à esquerda, em 2015. À direita, em 2013.

Rapidinhas:

*Grupo que mais gosta de treinar?

Ombro

*Qual a sua divisão de treinos?

Dorsal, trapézio e abdômen / Quadríceps e panturrilha/Ombro, bíceps e tríceps/ Posterior, peito e panturrilha

*Qual o seu herói no esporte e/ou na vida?

Arnold

*Qual conselho daria para iniciantes?

Ter paciência, disciplina, força de vontade, muito foco e determinação. Caso já tenha um treinador, confiar no trabalho em que ele faz e seguir à risca para obter o resultado que se espera.

*Uma frase?

“Vincere Hostem Invincibilem”. É uma frase do Dom Quixote, Vencer o Inimigo Invencível. O único inimigo invencível que nós temos, somos nós mesmos. Mente e corpo trabalhando juntos, terão ótimos resultados.

 

 

Ficha do atleta

Nome: Caroline Young

Idade: 21 anos

 Peso e altura: 66 kg em off / 56 kg em competição – 1,69 m

Cidade onde nasceu e cidade onde mora: Volta Redonda/RJ

Federação que compete: IFBB Rio

Formação:Professora Docente I e graduanda em Jornalismo.

Estado civil: Solteira