Motivação de campeã: conheça a carreira da atleta bodyfitness, Bianca Cardoso

Uma jovem menina que assistia os programas da Solange Frazão, sua primeira fonte de incentivo, e se encantava pelos corpos dos atletas. Esta era Bianca Cardoso, hoje, atleta Body Fitness, da IFBB-RIO, que, há cerca de 14 anos, dava os primeiros passos na prática da musculação. Após pouco mais de uma década, ela se tornou bi-campeã brasileira, e, de quebra, conquistou o título Overall, o que lhe assegurou a vaga para disputa do Sul-Americano de Fisiculturismo, no Peru, em setembro.

Bianca mostra um vigor, determinação e disciplina acima da média. Como não tem patrocinador, ela banca todos os custos relacionados ao esporte, que, por ser considerado caro, acaba arcando com várias despesas. Além do objetivo de conquistar títulos, ela também ressalva que os atletas profissionais precisam de uma quantia ainda mais elevada para disputar os campeonatos no exterior:

“Uma das minhas maiores dificuldades é custear o esporte. Como não tenho patrocínio, toda a preparação sou eu quem banco. Só consegue virar Pro com as competições internacionais, o que não são muito baratas. Mas o futuro a Deus pertence e sei que algo muito bom está guardado para mim”, afirma.

Desde muito jovem, sua vida sempre esteve ligada à prática esportiva. Aos 8 anos, fez Taekwondo, por indução dos pais, que estabeleceram, a partir da sua infância, um elo vencedor da futura atleta com o esporte.  Aos 21, já praticante da musculação, conheceu o primeiro treinador, Jorge Henrique, que foi quem a apresentou ao bodybuilding.

Atualmente, ela é treinada por Romero Holt. Ele era do Team Deathface, e ambos se conheceram através de amigos. Em relação ao trabalho treinador-atleta, ela evidencia:

“Gosto muito do trabalho dele porque ele não só diz o que fazer, ele explica o porquê das coisas e isso para mim é muito importante. Me passa uma confiança muito grande no seu trabalho. Hoje, ele se separou do Team Deathface e criou o Nº1 (Number One), no qual treinam atletas de nomes com Leandro Portela e Andrey Silva.”

Fã de Suzy Toldi, Renata Guaraciaba e Candice Lewis, Bianca acredita que elas possuem os corpos mais bonitos e vistosos do esporte, mantendo a feminilidade e fatores que agregam, ainda mais, à simpatia.

Mesmo possuindo uma carreira com títulos importantes e grandes façanhas, subir no palco, para ela, ainda traz alguns momentos em que o psicológico sobressai. Como trabalha em uma área sem nenhum vínculo com o fisiculturismo, se manter focada nos dois passa a ser algo árduo:

“A dieta é difícil, o corpo se adapta, mas se você não tiver um bom psicológico, acaba desistindo no meio do caminho”, complementa.

Sua alimentação, por exemplo, é chave de um resultado em que a mente trabalha tão de acordo com o físico. Apesar de ter feito preparações em que comer de 3 em 3 horas, uma média de 6 refeições por dia, era rotineiro, atualmente, sua refeição é ajustada de outra maneira:

“No momento, estou adepta do jejum intermitente, no qual realizo apenas 3 refeições por dia, em uma média de 18 horas de jejum”, garante.

Bianca acredita que o bodybuilding está ganhando espaço no Brasil, como a feira do Arnold Classic, que, segundo ela, contribui bastante, e que a tendência é crescer cada vez mais. Ela vai subir no palco no Sul-Americano do Peru, que será realizado entre os dias 10 e 14 de setembro, e pretende, um dia, disputar o Arnold Ohio.

bb

Rapidinhas:

* Grupo que mais gosta de treinar?

As ombreiras, é claro!

* Qual a sua divisão de treinos?

Meus treinos são focados mais em Dolsal e Deltóides. Costumo treinar duas vezes na semana, e o resto dos membros, uma vez por semana.

* Qual o seu herói no esporte e/ou na vida?

Meu herói, na verdade, é uma heroína, minha mãe. É a pessoa que mais teve do meu lado, sempre acreditando e me apoiando a cada minuto, sempre com a palavra certa no momento certo! Ela, sim, é a minha heroína e meu exemplo na vida.

* Qual conselho daria para iniciantes?

Que não desistam nunca de seus sonhos, sei que é meio clichê essa frase, mas é a mais pura verdade! Tanto no esporte, estudo e vida profissional as barreiras vão sempre aparecer e o que vai diferenciar as pessoas é o quanto ela pode aguentar correr atrás, os sonhos demoram, são sacrificantes, mas uma hora o resultado aparece e é ae que vê o quanto tudo valeu a pena! O que é seu está guardado e isso ninguém pode tomar, só depende do quanto vc ta disposto a lutar por ele!

* Uma frase?

Tem duas frases que eu adoro:

“Mais vale 1 minuto de glória que a vida inteira no anonimato”

E uma frase do Tiger Woods “Eu tive sorte, mas só depois que comecei a treinar 10 horas por dia.” Que fala justamente o que falei em cima, sorte vc terá basta saber o quanto vc está disposto a correr atrás.

 

Ficha da atleta:

Nome: Bianca Pimentel Cardoso

Idade: 27 anos

Peso e altura: 1,63 cm / off: 64 kg on:53 kg

Títulos: 

– Campeã/Overall Carioca Bodyfitness 2014

– Campeã Brasileira 2014

– Vice-campeã Carioca 2015

– Campeã/Overall brasileira 2015

Cidade onde nasceu: Rio de janeiro // Cidade onde mora: Rio de janeiro

Federação que compete: IFBB RJ

Formação: Graduada em Turismo e Hotelaria e Pos Graduada em Gestão de venda e negociação

Hobby: Assistir filmes e séries, sair com os amigos e treinar